11 de dezembro de 2014

Alergia Alimentar

{1173c93cf70952bd16c6dc49851d473d}_alergia_alimentar_400x314x0As reações aos alimentos são representadas por qualquer reação anormal à ingestão de alimentos ou aditivos alimentares. Elas podem ser tóxicas e não tóxicas. As tóxicas dependem mais da substância ingerida (ex: bacterianas presentes em alimentos contaminados) As reações não tóxicas são aquelas que dependem de susceptibilidade individual e podem ser: (intolerância alimentar) ou (alergia alimentar). Por vezes confundem-se manifestações clínicas decorrentesde intolerância, com alergia alimentar. Assim, embora muitas crianças desenvolvam tolerância ao alimento desencadeante após o primeiro ano do diagnóstico, outras podem levar oito a dez anos para ingerilo sem apresentar sintomas. Alergia alimentar é um termo utilizado para descrever reações adversas a alimentos, dependentes de, IgE ou não. São exemplos de manifestações mais comuns: reações na pele (dermatite atópica, urticária, angioedema), gastrintestinais (inchaço e coceira de lábios, língua ou garaganta, vômitos e diarréia), respiratórias (asma, rinite) e reações sistêmicas (anafilaxia).Os principais alimentos responsáveis pela alergia alimentar em crianças: o leite de vaca, o ovo, o trigo, o milho, o amendoim, a soja, os peixes e os frutos do mar. No entanto alergia a amendoim, nozes e frutos do mar que podem ser mais duradouras e algumas vezes por toda a vida. As reações fatais podem ocorrer em qualquer idade, mesmo na primeira exposição conhecida ao alimento, mas os indivíduos mais susceptíveis parecem ser adolescentes e adultos jovens com asma e alergia previamente conhecida a amendoim, nozes ou frutos do mar. O aleitamento materno exclusivo, sem a introdução de leite de vaca, de fórmulas infantis à base de leite de vaca e de alimentos complementares, até os seis meses tem sido ressaltado como eficaz na prevenção do aparecimento de sintomas alérgicos. Na avaliação diagnóstica das reações alérgica a alimentos, a história clínica do paciente tem papel fundamental. Além disso, os exames complementares, quando necessários. No tratamento Além da interrupção do alimento envolvido, o tratamento deve estar voltado para o alívio do sintoma desencadeado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *